Resenha # 10 : 72 Horas Para Morrer


 Estou participando do Book Tour que foi organizado pelo Blog Pseudônimo Literário.
 Adorei participar, foi um motivo para eu aparecer por aqui e matar a saudade.
 Estou super sumida do blog, e fico chateada com isso, mas é porque trabalho e estudo, meus fins de semanas tem sido para estudar. Uma correria, mas pretendo me organizar no próxima ano para poder continuar postando pelo menos 3 vezes na semana. 
 Vou postar a resenha espero que gostem, é um livro muito bom.


Nome: 72 Horas Para Morrer
Autor: Ricardo Ragazzo
Editora: 
Nº de Páginas: 320
Sinopse:  Pior do que conhecer um Serial Killer, é um Serial Killer conhecer você! “O Carro pertence à sua namorada.” Com essas palavras, Júlio Fontana, delegado da pacata cidade de Novo Salto, tem a vida transformada em um inferno. Pessoas próximas começam a ser brutalmente assassinadas, como parte de uma fria e sórdida vingança contra ele. Agora, Júlio terá que descobrir a identidade do responsável por esses crimes bárbaros, antes que sua única filha se torne o próximo nome riscado da lista. 72 Horas para Morrer é uma corrida frenética contra o tempo, que prenderá o leitor do início ao fim.



         O livro é um thriller policial e conta a história do delegado Julio Fontana que é surpreendido com um serial killer que está atrás dele prestes a tornar sua vida em um verdadeiro inferno.Tudo começou quando ele foi chamado para acompanhar um acidente de carro, ao chegar no local se depara não com um acidente normal, mas  descobre que a sua namorada está no jogo. Pessoas próximas deles vão desaparecendo e morrendo.  As mortes são detalhadas e com cenas fortes. A sua preocupação só aumenta, a relação com sua filha, Laura, já não era muito boa com o surgimento do serial killer dificultou mais ainda. Tinha que conviver com as dificuldades de relacionamento entre os dois e proteger ela. E para piorar a situação do delegado Laura se apaixona pelo ex-presidiário Miguel, que tem motivos de sobra para querer se vingar dele. É uma grande luta contra o relógio.

A história é empolgante me prendeu desde o início. Achei algumas atitudes do delegado Fontana um pouco exageradas, mas dá para relevar pelo gênero do livro, em alguns momentos Laura, com 18 anos, me irritou com seu temperamento super infantil. Teve um detalhes que não me agradou muito, quando chega no finalzinho do livro uma revelação me desapontou , não achei que encaixava na história, ou talvez por eu não gostar muito do que foi revelado. Mas o final é realmente muito surpreendente, foi uma boa leitura, li bem rápido por prender nossa atenção e gostar de thriller policial.



Topo